pular para o conteúdo
Busca Interna.

Pesquisas em Andamento

Falando de si: estudos sobre autopercepção e histórias de vida de pessoas com deficiência intelectual

Apesar da disseminação das políticas e ações afirmativas em prol dos direitos de pessoas com deficiências, essas ainda encontram inúmeras barreiras para sua efetiva inclusão educacional e social. No caso dos sujeitos com deficiência intelectual, ainda prevalece a representação social da incapacidade, resultando em uma auto imagem inferiorizada, bem como limitada autonomia e participação social.
No que tange a produção científica, ainda são relativamente escassos os estudos que partem da própria vivência das pessoas com deficiência. Entendendo que políticas e práticas de inclusão são operacionalizadas e direcionadas a pessoas reais em suas inter-relações nos diferentes espaços sociais, e que os sujeitos que as vivenciam são as mais importantes fontes de dados, objetivo geral da pesquisa é analisar os impactos das políticas de inclusão educacional e social na autopercepção e vida cotidiana de pessoas com deficiência intelectual, a partir de seus relatos pessoais.
Para tal serão realizados dois estudos complementares. O Estudo I consiste no estado da arte da produção nacional e internacional sobre auto percepção de pessoas com deficiência intelectual nas bases de dados CAPES e Scielo (Brasil) e outras bases internacionais. O Estudo II analisa, por meio da metodologia de História de Vida, depoimentos de jovens e adultos com deficiência intelectual, levando em consideração diferentes aspectos psicossociais. Espera-se que os resultados alcançados no cotejamento do estado da arte da produção nacional e internacional sobre auto percepção de pessoas com deficiência intelectual (Estudo I) com a análise de histórias de vida desses sujeitos (Estudo II) contribuam para o aprofundamento e ampliação da produção científica no campo da Educação Especial e Inclusiva. Por sua vez, os dados obtidos poderão se reverter em indicadores para desenvolvimento e avaliação de políticas e propostas psicoeducacionais inovadoras, melhor direcionadas à demanda específica destes sujeitos, tornando-se, assim, uma ação de impacto social.

Financiamento: CNPq (bolsa de produtividade em pesquisa 1D - 2016-2019; bolsa de iniciação científica), FAPERJ (bolsa de iniciação científica)



Veja outras Pesquisas em Andamento

Parcerias

UERJ